quinta-feira, 31 de março de 2011

O FADO DA POLÍTICA





Perguntaste-me outro dia
Se eu sabia qual era o buraco
Eu disse que não sabia
Tu ficaste encavacado
Sem saber o que dizia
Eu menti naquela hora
E disse que não sabia
Mas vou te dizer agora

Finanças vencidas
Economias perdidas
Contas bizarras
Na partidocracia
Canta um rufia
Roubam guitarras
Eleições, queixume
Corrupção esfume
PEC aldrabado
Tudo isto existe
Tudo isto é triste
Tudo isto é fado

Se queres ser o meu assessor
E teres-me sempre a teu lado
Não me fales só de favor
Fala-me também do ordenado
O partido que é meu abrigo
Só nasceu pra me favorecer
Roubar é tudo o que eu consigo
Mais o que eu não sei dizer.

Sem comentários:

Enviar um comentário