segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Madeira mais democrática que Continente



A questão de se tratar a Política como o Futebol, com facciosismo, dá nisto. A Madeira, segundo se lê por aí, é uma terrível ditadura onde um "monstro" apelidado de Bokassa, Kadhafi, Pol Pot e outros epítetos massacra os ilhéus e enterra-os em valas comuns. É o problema de quem não sabe distinguir a estrada da Beira da beira da Estrada.
Por acaso, naquela terrível ditadura, o Parlamento Regional tem mais partidos representados (8) do que a Assembleia da República do Continente (5). Que chatice para os asfixiados democráticos da Madeira e dos que colocam aquele território ao nível das antigas ditaduras sul-americanas.
Na maior campanha contra uma pessoa e uma região como nunca se viu nos últimos 30 anos, a ditadura de Jardim "permitiu" que nove partidos se expressassem em campanha eleitoral e oito deles elegessem deputados regionais. Até o Partido Pelos Animais e Natureza tem um representante eleito numa terra bárbara sem touradas, enquanto no civilizado Continente se continuam a "esfaquear" alegremente ao som de música espanhola os toiros bravos.
A dívida da Madeira, mais o tal famoso buraco, permitiu à região ser a segunda mais rica do País logo a seguir a Lisboa. A Madeira deve dinheiro. Pois deve. E Portugal não é o segundo País mais desacreditado do Mundo em termos de dívida?
O Sócrates não moveu os céus e a terra para calar a boca à Manuela Moura Guedes? As escutas que o provam não estão ciosamente escondidas pelo guardião máximo do bando socrático, o Procurador-Geral da República? O Governo do mesmo Sócrates não aldrabou as contas e o valor do défice antes das eleições de 2009, apresentando na campanha um défice de 5% quando logo a seguir ao acto eleitoral se verificou que era de 9%? E todas estas artimanhas não aconteceram perante um Cavaco Silva inerte, mais interessado na sua reeleição do que no interesse nacional?
Há vigarices na Madeira? Decerto que sim. Tráficos de influências? Obviamente.
E por cá? Pelo santo Continente?
Paulo Penedos, arguido no processo Face Oculta, arrolou como testemunhas abonatórias Mário Soares e Jorge Sampaio, ex-presidentes da República. Porque será?
Lê-se no Correio da Manhã de hoje que o Ministério Público impediu que se investigasse José Sócrates. Porque será?
Paula Teixeira da Cruz, ministra da Justiça, quer correr com o Procurador-Geral da República mas o PR Cavaco Silva não deixa. Porque será?
Um juiz mandou prender Isaltino Morais e outro mandou soltá-lo. Porque será?
Agora que acabou o teatro à volta da Madeira cai-se na realidade. Portugal está à beira da bancarrota e adivinham-se novos cortes drásticos nos rendimentos da População. De toda a População? Obviamente que não. Os do costume mantêm os privilégios intocáveis e a malta lá vai cantando e acenando bandeirinhas de vez em quando pela Avenida da Liberdade abaixo...

Sem comentários:

Enviar um comentário