sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Ele e Ela = Zero


As perspectivas não podiam ser piores. Ele gosta de vermelho, berrante, vibrante, atiçador de emoções e Ela deleita-se com os tons pastéis mais discretos, menos reluzentes com uns bordeaux à mistura, para dar nas vistas, a vaidosa, sem querer demonstrar que dá nas vistas. É uma artimanha para atrair a presa, uma espécie de estratégia da aranha. Manhosa. Ela diz que não mas Ele topa-a bem.  Parece um bocado complicado mas só vendo Ela de perto, especialmente  se não se aperceber que  está a ser observada. Assim como Ele quando começou a deitar-lhe  o olho a 3/4 vista de trás numa "emboscada"...E que paisagem com uma orografia irresistível aos gostos de Ele...Por Ele já estava mas... 
Dizem as más línguas, só podem ser algumas bruxas invejosas, que Ele é um conquistador compulsivo, que tarde ou nunca mudará na vida, apenas com pica para Ela até aparecer outra que lhe reacenda a chama da aventura seguinte. Não é bem assim mas às vezes as circunstâncias pregam-lhe injustamente a partida. Até parece que nunca ouviram dizer que "a ocasião faz o ladrão"...Pois é!  
Está bem que Ele é um impulsivo apressado e sem grande paciência para infindáveis jogos de sedução. Ao contrário de Ela, que prolonga, alonga, estica até aos limites da exaustão  (d' Ele) qualquer sinal verde para a "coisa" seguir em frente. São ambos bastante imaginativos embora a ritmos diferentes. Ele imagina como se lesse um livro saltando de capítulo em capítulo até chegar finalmente ao...final; Ela, pelo contrário, lê, relê, pensa, mói, mastiga, interroga e quando se julga que Ela já está prestes a pronunciar o "Fim", da leitura, ou o "Sim", da relação, eis que faz uma regressão de meia dúzia de capítulos e o cenário volta quase à primeira forma...Depois o pobre d' Ele é que é carimbado de apressado. Todos fazem o mesmo mas o infeliz  coitado é que tem as costas largas, só porque é um bocadinho mais expansivo e não anda a passo de caracol. 
Ah, mas Ela também não é nenhuma Santa. Gosta da mesma "coisa" que Ele embora se meta por estradas florestais ou à beira-mar cheias de curvas, balanços e solavancos para chegar onde Ele já espera e desespera há horas depois de acelerar a fundo na auto-estrada do sentimento.
Uma vizinha pindérica que ninguém lhe pega disse que Ele tão depressa aquece como logo depois arrefece enquanto Ela pode demorar uma eternidade a ferver mas nunca mais depois a temperatura não baixa  nem que a coloquem no congelador. 
Vistos e revistos todos os pormenores, a compatibilidade deles é igual a zero. É uma relação com as mesmas hipóteses de êxito como as de crescerem couves galegas na Lua. Ou de Ele lhe beijar os pés...como Ela aprecia. Iac!, disse Ele. Lá pelo pescoço de um e das costas do outro ok tudo bem, seja no conforto de uma quarto à média (da vela) luz d' Ela ou selvaticamente no elevador parado entre o 4º e o 5º andar do prédio mais próximo onde Ele de repente lhe apetecer transmitir como a ama. 
Bem, Ele tem de arranjar uma boa colecção de óleos e perfumes e apanhá-la desprevenida para a massajar como Ela delira languidamente. Mas aí d' Ela se Ele nunca mais vir o cor-de-rosa ao fundo de um túnel ainda muito negro...   

Sem comentários:

Enviar um comentário