sábado, 5 de março de 2011

A triste figura do vício

Os vícios são tramados. Pela primeira vez em muitos anos acordei e reparei que não tinha cigarros. Entrei em pânico como se estivesse no meio da pior catástrofe que se possa imaginar. Tinha quase a certeza que ainda me restava um maço de cigarros. Virei a casa do avesso mas nada. Os meus gatos espantaram-se com a minha frenética actividade tão invulgar assim que me levanto. Cuscei debaixo da cama, atrás dos móveis, levantei os sofás (ena tanta coisa que os gatos enfiam lá para baixo...), fui para a cozinha e arrastei as máquinas e o fogão (ai o que a minha empregada se "esquece" de limpar, grrrrrr...) mas de cigarros nem...fumo !
Felizmente tenho cafés por aqui perto, enfiei uns ténis que normalmente fazem de pantufas, e saí disparado de casa, desci pelo elevador, entrei na rua em passo largo, irrompi pelo café-restaurante, onde todos os olhares se fixaram no meu ar desvairado de drogado na nicotina e sobretudo por estava vestido de...pijama.
Mas como é Carnaval acho que passei despercebido...Afinal o Entrudo é para um homem se mascarar do que se quiser...
O meu pijama de sair à rua...:P

Sem comentários:

Enviar um comentário