segunda-feira, 20 de junho de 2011

Distracção ou algo pior?


Que sou distraído já eu tinha dado por isso.  Desde que nasci. Na escola primária, por exemplo,  deleitava-me a  olhar para as moscas a voar aos ziguezagues, o que me valia algumas réguadas da professora Ermelinda, primeiro,  e depois do professor Cancela, o tal das lojas dos móveis com o mesmo nome. Nas minhas distracções actuais, às vezes o que é para meter no frigorífico  enfio  na dispensa (e vice-versa). Também  não são poucas as vezes que me esqueço de fechar a porta da rua ou deixo as chaves do lado de fora. Felizmente os meus gatos (e não só) guardam a casa...
Hoje, antes de sair, fui ao spray do desodorizante para dar um cheirinho agradável aqui ao mocinho. Pufff! Pufff! e ala para a rua. Ia no elevador e notava um cheiro esquisito. Cheirava-me a canteiros de flores ou a ervas daninhas, um odor um bocado enjoativo que se colou à t-shirt e não me largava,  nem largou,  até que, horas depois, despi a roupa. 
Só então reparei que o cheiro que tanto me incomodava não era originado pelo spray desodorizante que normalmente uso mas sim pelo ambientador que utilizo para atenuar o odor do caixote das necessidades dos gatos...Espero que seja apenas distracção e não o amigo Alzheimer a bater-me à porta...

Sem comentários:

Enviar um comentário