sábado, 30 de julho de 2011

A BARRIGA, a DIETA e o AMOR !


Um amigo meu chegou à conclusão que estava a ficar gordo, bolachudo e com uma barriga proeminente. A mulher concordou com ele e incentivou-o a fazer dieta. Até aqui nada de anormal porque quase toda a gente, hoje em dia, cuida da "linha". O meu amigo deitou mãos à obra, ou melhor, fechou a boca às cervejas, às feijoadas, caldeiradas e outras "adas" substanciais tão agradáveis ao corpo e à alma. Trocou as Sagres por água, as batatas por saladas, os entrecostos e as bacalhauzadas por bifinhos e/ou peixes grelhados. Doces nem vê-los. E na verdade a mudança alimentar produziu os seus efeitos. O moço estava a aproximar-se a passos largos de se tornar um modelo cobiçado pela Fátima Lopes. 
Mas...
Não há bela sem senão. Infelizmente. O "rapaz" de meia idade trabalha como um mouro e começou a sentir sinais preocupantes de fraquezas, tremuras e falta de forças para dar conta do serviço profissional. Pior: a mulher, também minha amiga, é extremamente exigente quanto aos deveres conjugais mas os  efeitos secundários da elegância do marido deixava-a a "falar sozinha" noites e noites a fio. 
O meu pobre amigo entrou em depressão e o casamento estremeceu com a ausência quase total de "coiso e tal". Em desespero, o agora aprumado marido ainda tentou uma solução extrema: ligava à dedicada esposa, antes de regressar ao remanso do lar doce lar, e perguntava-lhe se ela estava ou não disposta à "festa". Em caso afirmativo, ele atirava-se aos bifes, batatas fritas e sobremesas e às Sagres como gato a bofe; nas (poucas) vezes que a cara-metade lhe respondia "não" lá voltava ele às saladas, ao arroz branco e aos grelhados regados a água.
Vi-os nesse período de crise existencial e marital algumas vezes. Ele com um perfil de atleta e ela com uma cara fechada marcada pela infelicidade das dietas do marido à mesa e na cama...
O homem, desesperado, entre a espada e a parede, ou seja, entre a energia perdida e a hipótese muito provável de ver ir à vida a barriga e a "esfomeada" esposa, acabou com aquele tormento de uma vez por todas e enfardou  chispalhadas, favas com chouriço, arroz de cabidela, bacalhau com todos e  as desejadas Sagres. 
Resultado: a barbela no queixo aumentou, a barriga regressou à sua anterior proeminência, as camisas quase rebentam pelas costuras mas a alegria exteriorizada pelo rosto da mulher é agora proporcional aos "pneus"  daquele a quem jurou fidelidade para sempre.
O amor é lindo. Mais vale uma barriguinha na mão que duas boas "noitadas" a voar...

Sem comentários:

Enviar um comentário